Dólar Hoje - Acompanhe a Cotação da Moeda | Focco Turismo

Dólar Hoje – Acompanhe a Cotação da Moeda

USD $ 1.00

Vale:

R$ 4.3186

O dólar é a moeda oficial dos Estados Unidos e de outros 4 países. Além disso, é sem dúvidas a moeda mais utilizada no mundo inteiro, tanto na livre circulação como nas reservas internacionais e negociações comerciais pelo mundo. Só para se ter uma ideia, em 2013 havia US$ 2,7 trilhões de dólares em circulação e estima-se que 2 terços desse dinheiro circula fora dos Estados Unidos. Não à toa, a cotação do dólar hoje é uma das palavras mais procuradas nos mecanismos de busca da web.

No entanto, apesar de sua vasta popularidade, principalmente após o fim da II Guerra Mundial, as operações financeiras entre o dólar e o real ainda sofrem grandes contratempos, principalmente para quem está planejando uma viagem ou cogitando realizar uma transferência internacional. O centro de toda confusão costuma se concentrar na compreensão da cotação do dólar hoje, das peculiaridades que circundam sua aquisição e nas maneiras mais eficientes de fazer uma boa operação financeira.

A verdade é que quando analisamos onde comprar dólar, estamos falando da forma e do local mais adequado, seguro e rentável para se realizar a compra de moeda. Cada centavo economizado tem reflexo diretamente em seu bolso e na experiência que você busca ao viajar ou realizar alguma transferência ao exterior. Por esta razão, é fundamental ter um bom planejamento e um parceiro profissional que possa te auxiliar nesse processo.

Como acompanhar a cotação do dólar hoje?

Atualmente já é possível encontrar diversos sites e portais de notícias que informam diariamente a cotação do dólar. Dentre os mais confiáveis está o site do Banco Central do Brasil, que apresenta o valor médio e boletins de uma determinada data ou período, além de informações sobre outros mercados que envolvem o dólar.

Entretanto, não é importante só a análise da cotação diária como também a análise do ranking VET (Valor Efetivo Total), que irá mostrar qual o custo total de uma operação de câmbio em reais por dólar, avaliando taxa de câmbio, tributos sobre a operação e demais custos e comissionamentos.

Como aplicar isso de forma prática na hora de comprar dólar?

O primeiro passo para comprar dólar é verificar o ranking do VET para ter uma base do valor cobrado pelos agentes autorizados nos últimos meses. As taxas são livremente pactuadas entre o comprador e o agente autorizado, o que reforça a ideia de que você deva ter o acompanhamento de uma casa de câmbio de confiança para que as tarifas específicas sejam justas e que o serviço seja profissional.

O valor varia, normalmente, de acordo com o método de pagamento. No geral, a compra em dinheiro vivo sai mais em conta do que pagar com o cartão de crédito. A forma de entrega também pode interferir no preço final.

É preciso também compreender os três tipos de taxas de cotação do dólar, que variam de acordo com a natureza da operação:

1 – Dólar comercial: concentra-se nas operações de importação, exportação e transferências financeiras. É utilizada para avaliar a valorização ou desvalorização do real perante o dólar e dependendo a operação, há a incidência de impostos e custos adicionais.

2 – Dólar turismo: refere-se às operações de compra e venda de moeda para pessoas físicas, incluindo os custos de operação e tributos.

3 – Dólar Paralelo: cuidado! É considerada uma negociação ilegal relacionada ao mercado de câmbio, também chamada de câmbio negro. É toda transação de moeda que não é intermediada por instituição financeira ou autorizada e, portanto, não registrada e, consequentemente, não tributada. Também é fortemente utilizada para operações fraudulentas como lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

Dito isso, compreende-se que é preciso encontrar a casa de câmbio ou correspondente cambial que preste o serviço da forma adequada à suas necessidades. Nem sempre as autorizadas com preços razoáveis conseguem entregar um serviço de excelência e atendimento personalizado que façam você efetivamente economizar.

Em outros casos, a remessa internacional, quando possível, acaba por oferecer um valor final muito mais atrativo pelo tipo de operação realizada.

A ideia é ter um planejamento detalhado de qual a sua necessidade, seja ela viagem, venda ou fazer uma remessa internacional, e estruturar essa demanda com um profissional que possa encontrar os caminhos mais modernos e eficientes para que o processo seja rápido, menos burocrático e mais econômico possível.

Mas, como fazer a melhor escolha?

Abaixo, algumas considerações especiais para, no mínimo, não sair perdendo nessa tarefa:

1 – Faça a combinação que ofereça a melhor relação entre risco, conveniência e custo para você, ou seja, solicite uma cotação das opções que existem para o câmbio e quais os respectivos custos e características de cada operação. Atente-se que podem incidir taxas diversas por cada serviço, além de restrições de valor para entrar em cada país. Priorize a equação que vá lhe fornecer mais segurança e comodidade;

2 – Alguns países exigem que o turista apresente uma quantia mínima de dinheiro em espécie, servindo como prova de que terá como se manter no local e voltar ao país de origem. Procure se informar no consulado do país de destino para saber se é o seu caso;

3 – A cotação em bancos costuma incluir o chamado custo de conveniência, que nada mais é do que a prática de que um valor acima do valor de mercado, simplesmente pela conveniência do banco estar próximo ao seu correntista, facilitando o trâmite de documentação.

As casas de câmbio, por sua vez, possuem a necessidade de uma verificação mais aprofundada da documentação do cliente para cada operação, isso torna o processo um pouco mais moroso / intrincado, porém oferece aos clientes uma maior personalização do serviço e ao mesmo tempo um custo reduzido de operação, geralmente resultando em uma taxa mais atrativa do que nos bancos.

4 – Atente-se a documentação. Cada casa de câmbio define quais documentos são essenciais para comprar ou vender moeda estrangeira. De forma geral, os principais são:

  • Documento de identificação com número de RG e CPF;
  • Comprovante de residência com validade de no máximo 90 dias;
  • Em alguns casos, dependendo do valor, comprovante de imposto de renda e assinatura de contrato de prestação de serviços cambiais.

5 – Atualmente já é possível cotar moeda estrangeira pela internet ou por telefone além de ser possível combinar a entrega do valor encomendado onde e como você quiser. Portanto, aproveite-se desses canais de comunicação e esteja integrado com as soluções online;

6 – Em algumas cidades as cotações variam muito não só entre estabelecimentos, mas também de segundo a segundo. Por exemplo, uma casa de câmbio no aeroporto costuma ter cotação absurdamente acima do oficial por conta da conveniência de sua localização e o preço pode oscilar de acordo com sua demanda ou até mesmo fluxo de passageiros. Por isso, programe-se para não pagar mais caro;

7 – Sempre pesquise sobre a reputação da instituição escolhida, independente dela ser autorizada pelo Banco Central ou não, e nunca compre dólar no mercado paralelo (câmbio negro). Além de ser ilegal, você não terá a certeza se as notas são verdadeiras e não terá o comprovante de compra, o que pode lhe resultar em problemas sérios no exterior;

8 – Duvide sempre das cotações surpreendentemente baixas e use sempre o site do Banco Central ou da Focco Cambio como referência de compra;

9 – Faça uma variação de notas, peça notas de dez, vinte e cinquenta dólares ao invés de apenas notas maiores. O ideal é que isso seja feito com antecedência para garantir a disponibilidade do pedido;

10 – Tente trabalhar com planejamento, principalmente na compra. Como a oscilação é intensa, a compra fracionada, um pouquinho a cada mês, ou a cada dois meses, vai lhe garantir uma taxa média e garantirá um equilíbrio em sua operação.

O que levar em consideração antes de comprar dólar na casa de câmbio?

1 – Verifique se a instituição está autorizada pelo Banco Central: viajar com dinheiro em espécie sem recibo de compra pode trazer problemas sérios com as autoridades, inclusive com risco de ter o montante apreendido em caso de dúvidas relacionadas com a procedência do valor como dito anteriormente.

Ao escolher uma casa de câmbio apenas pela economia, você corre o risco de adquirir cédulas sem recibo e, como acontece em muitos casos, com cédulas falsas. Não há órgão que proteja o consumidor que fez um negócio no mercado paralelo.

2 – Programa-se para comprar com antecedência: comprar moedas estrangeiras no aeroporto definitivamente não é uma boa opção para quem quer economizar. O motivo é muito similar ao dos bancos também cobrarem uma taxa final mais alta, neste caso, por estarem próximas aos portões de embarque, onde há grande fluxo de pessoas, o valor efetivo total da transação (VET), ou seja, a soma do spread da conveniência com o IOF, costuma ser superior inclusive do que nos bancos.

Como dito acima, diversos especialistas do mercado recomendam que a compra de moeda estrangeira seja feita por etapas. Com isso, o viajante terá uma taxa de câmbio média comprando em intervalos de queda da moeda até a data da viagem, e não apenas em um único.

3 – Fique de olho nos impostos: a grande maioria das transações que envolvem câmbio de moedas estrangeiras no Brasil existe a cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Ao obter papel moeda, certifique-se de que os impostos sejam recolhidos e que você guarde seu recibo. Os decretos-lei publicados entre 2016 e 2018 fixaram a alíquota de 0,38% para transferências internacionais (remessas de dinheiro) para uma conta de titularidade diferente e de 1,1% para contas de mesma titularidade.

Os cartões pré-pago, de crédito e débito, apesar de mais seguros em comparação a locomoção de dinheiro em espécie, têm uma grande diferença de IOF que chega a 6,38%. Além disso, mesmo que surja uma oportunidade de compra em um dia de cotação baixa da moeda estrangeira, ainda sim você só vai saber o valor que vai pagar no dia do fechamento da fatura.

4 – Compare o VET (ou valor efetivo total): compare os resultados de acordo com valor efetivo total (VET), ou seja, levando em consideração as taxas e margens de lucro. Se possível, opte pela remessa internacional os custos de obtenção do papel moeda normalmente o torna mais caro.

Converse com um especialista da Focco Turismo e tire suas dúvidas

A Focco Turismo tem vasta experiência em diferentes serviços de câmbio, investindo na capacitação de seus profissionais e na evolução de processos que possam oferecer aos clientes menos burocracia e um atendimento personalizado, eficiente, seguro e transparente.

Apostamos nos caminhos com soluções modernas e tecnológicas que otimizem tempo sem perder de vista o profissionalismo, oferecendo os melhores protocolos para:

  • Compra e venda de moedas estrangeiras;
  • Atendimento corporativo de funcionários viajantes;
  • Seguro viagem;
  • Programação de pacotes de turismo;
  • Aquisição de cartões pré-pagos;
  • Delivery de valor adquirido;
  • Diferentes operações de remessas internacionais.

Quer uma cotação vantajosa e um serviço especializado para a compra de dólar hoje? Converse com um de nossos executivos de contas agora mesmo. Preencha o formulário abaixo ou entre em contato via telefone. Venha ver como podemos estruturar uma operação segura, vantajosa e eficiente para a sua necessidade!

Dólar Americano (USD):
4.3186
EURO (EUR):
4.8084
Libra Esterlina (GBP):
5.7314
Dólar Australiano (AUD):
3.0369
Dólar Canadense (CAD):
3.3505
Franco Suiço (CHF):
4.4653
Todos os Valores em Reais estão sem o IOF. - Os valores são flutuantes e podem sofrer alterações até o momento do fechamento. Fale com um consultor agora!