A quantidade de informações importantes no mundo acaba por dificultar, e muito, a identificação do melhor momento para comprar moedas para viagens ao exterior. Entretanto, quando o assunto é câmbio turismo, o ideal é agir com sabedoria e estratégia, itens essenciais de um bom planejamento financeiro.

Nesse artigo vamos conceituar o Câmbio Turismo e algumas medidas essenciais para economizar e fugir das oscilações e instabilidades do mercado, buscando o melhor caminho para a compra de seu câmbio.

O que é o câmbio Turismo

O câmbio Turismo é aquele que buscamos quando queremos comprar moeda. Em outras palavras, existe duas cotações, a comercial e a turismo.

De acordo com a legislação pertinente a cada país, ocorre a incidência de certos impostos e custos na tradução do dinheiro.

No caso do dólar é exatamente isso que acontece. Sobre o valor da cotação do dólar comercial, há a incidência de impostos e custos para a obtenção da moeda final, principalmente se esta for em espécie (dinheiro físico). Esses custos estão majoritariamente compreendidos na diferença entre a cotação comercial e a do turismo. (Saiba mais aqui em: Impostos Sobre o Câmbio)

Dicas essenciais para o câmbio turismo

1 – Tenha um roteiro prévio: já está mais do que provado que quem se planeja consegue mais benefícios e vantagens. Nesse contexto, economizar na compra de moedas estrangeiras passa por fatores como a elaboração de um roteiro de viagem.

Para te ajudar, é possível se organizar respondendo algumas perguntas básicas:

Qual é o tempo que você vai ficar fora? (Uma semana ou duas, um mês, um ano, etc)
Onde vai ficar esse tempo? (Hotel, Motel, Hostel, etc)
O que vai fazer na viagem? (Trabalhar, passear, etc)
Qual será o itinerário? (Quanto espera gastar?)

A ideia é ter um prospecto da viagem. Assim, mesmo que ocorra algum imprevisto ou mudanças estratégicas, ficará muito mais fácil se organizar e não ser pego de surpresa.

Além disso, alguns países utilizam moedas exóticas, que têm custos mais altos para sua obtenção. Em casos assim, muitas vezes, é economicamente mais vantajoso comprar moedas mais comuns como o dólar ou o euro e, efetuar a troca no destino da viagem.

2 – Tente comprar aos poucos: se você já tem em mente o seu itinerário e consegue visualizar um panorama do planejamento em até 12 meses de antecedência, é recomendável comprar dólar ou euro para viagem em intervalos periódicos e que acompanhem os dias de baixa da moeda, atendendo sua expectativa em relação ao futuro do mercado.

Em outras palavras, é impossível de se prever o futuro, mas apenas com o alinhamento de suas convicções com suas necessidades, é possível até de se conseguir um ganho financeiro.

É importante o uso de intervalos ponderados para a compra e evite deixar para a última hora. As compras de véspera costumam ser a pior das escolhas, principalmente por não permitir adequação de posicionamento com convicção de futuro.

3 – Mantenha-se informado: quase todos os dias fatores nacionais e internacionais interferem na cotação do dólar ou euro, procure obter o maior número de informações sobre fatores como política, votações no Congresso Nacional, intervenções Autárquicas na economia, etc.

A valorização ou desvalorização da moeda é fator preponderante para você decidir se é ou não um bom momento para compra ou, se deve deixar de fazer-lo. Mesmo que seja praticamente impossível prever a queda de uma moeda, o noticiário pode te ajudar a saber quando a moeda está em baixa e quando está se valorizando e quais as possibilidades e tendências para o futuro.

4 – Siga o histórico da cotação: Da mesma maneira como acompanhar as informações pertinentes de mercado é importante, o histórico de oscilações tem semelhante importância na definição do momento ideal para comprar.

Muitos aplicativos já mostram o espectro de oscilação de cada moeda, fazendo comparações e o acompanhamento detalhado de seu comportamento.

5 – Cuidado com o cartão de crédito: quem paga as contas no exterior usando o cartão de crédito não sabe exatamente quanto efetivamente irá pagar, pois o valor na data da compra é diferente do valor do dia de fechamento da fatura.

Ou seja, utilizar o cartão de crédito com o intuito de aproveitar uma queda momentânea da moeda estrangeira pode ser um tiro no pé por conta de estar exposto a oscilações até a data de fechamento da fatura.

Além disso, os cartões de crédito costumam sofrer a incidência de taxas como o IOF (6,38%) e um spread bancário muito maior do que os praticados por casas de câmbio convencionais como a Focco Câmbio e Turismo(>5,00%).

Uma saída, mesmo que ainda não seja a ideal, é utilizar o cartão pré-pago para não precisar carregar muito dinheiro em espécie e fugir da mão dos bancos.
Não se esqueça de conferir os impostos que incidem sobre cada operação e tenha a certeza de apenas pagar pelo que realmente precisa (Saiba mais aqui em: Impostos Sobre o Câmbio).

Conte com uma casa de câmbio que possa te ajudar no processo de planejamento

A Focco Turismo investe pesado na capacitação de seus profissionais, na segurança, transparência e rapidez, auxiliando na formatação de pacotes de turismo, desde a elaboração até receptivos e passeios, tickets de parques, ingressos e muito mais.

Contamos com um grupo de executivos de contas preparados para indicar os melhores caminhos para as suas demandas, assim como os melhores momentos para comprar e vender moedas estrangeiras.

Estamos compromissados com o futuro e com a coragem, sendo vanguarda na implementação de inovações tecnológicas, descobrindo novos processos que ofereçam aos clientes taxas menores, menos burocracia, mais eficiência e um atendimento personalizado. Quer uma ajuda no câmbio turismo? Preencha o formulário abaixo e veja como podemos ajudá-lo em sua viagem.